Em busca do offshore perdido

Publicado: maio 26, 2008 em Empresas, Tecnologia

Há algum tempo o Brasil vem tentando, sem sucesso, se estabelecer como um dos grandes fornecedores de offshore para mercados como EUA e Europa. Há disputa não é fácil, estão no páreo China e Índia.

As dificuldades são claras, a alta carga tributária brasileira. A falta de profissionais qualificados, em especial que tenham fluência em inglês(E quando são encontrados não se sujeitam a trabalhar pelo valor baixo pago por esses projetos). O custo baixo da mão de obra concorrente, o alto turn-over, entre muitos outros.

Muitos estão vendo o novo pacote anunciado pelo governo para incentivar as exportações de software como o salvador da pátria, e realmente a área de TI tem muito a ganhar com isso, porém há muito ainda o que se fazer.

Um fator crucial é melhorar a qualidade de nossa mão de obra, não é raro em fábricas de software vermos um profissional bom abandonar a empresa e para seu lugar serem contratados 2 ou 3 estagiários. Claro, dessa forma a empresa reduz seus custos graças ao valor pago para os estagiários. É uma tática ótima, não? Não. Já assisti de camarote alguns projetos que se recusaram a pagar 4 reais a mais por hora a excelentes profissionais para pegarem no lugar alguns estagiários e graças a isso o projeto quase afundar, ou muito pior, o projeto ser cancelado, o que deu um prejuízo muito maior do que pagar aqueles 4 reais a mais.

Claro que o pobre estagiário não tem culpa da condição colocada à ele, ele que deveria estar ali aprendendo com bons profissionais e adquirindo conhecimento para se tornar um excelente profissional, normalmente tem que se virar sozinho e alguns até levam projetos nas costas, como a ótima descrição da desciclopédia diz:

“ Estagiários (Inutilis Rastejantis) são pessoas semi-racionais, que reconhecem ordens simples, mas não importa o quanto tentem, sempre fazem errado. São contratadas para trabalhar mais e ganhar menos que os outros membros de uma empresa ou repartição pública. Contratados para realizar o trabalho dos profissionais da empresa, para que estes tenham tempo de publicar seus artigos na Desciclopédia.”

Assim vemos uma empresa grande ficar com péssima fama perante seus clientes. A minha esperança é que com a diminuição na carga tributária proposta pelo governo as empresas comecem a pagar mais por excelentes profissionais que possam agregar uma maior conhecimento e solidez ao projeto colocando o Brasil entre os grandes atores do offshore mundial.

comentários
  1. eu acho que o caminho brasileiro passa por desenvolver produtos de maior valor agregado, ao invés de querer competir em preço com indianos e chineses, algo que jamais conseguiríamos fazer até mesmo se não houvesse imposto nenhum.

    o problema é se existe esta demanda toda por este tipo de produto, mais caro e de maior valor agregado. provavelmente não.

    até lá, nossos empresários, focados no lucro, continuarão usando estagiários como mão de obra barata, desvirtuando completamente a função do estágio de formar profissionais no mercado

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s